Um Natal de outro jeito…

 

Esta é a rua principal de Vila de Santo André. É difícil Papai Noel chegar aqui. (Foto: Cláudia Schembri)

A verdade é que nós somos mais semelhantes do que imaginamos… O meu desabafo com as dificuldades pessoais neste tempo de Natal teve eco em amigos que também vivem o mesmo. Não tenho a solução, mas busco alternativas para conviver melhor com dezembro pois  é impossível pular 30 dias em um ano… Geralmente depois que falo, ou melhor, que escrevo, alguma coisa começa a mexer dentro de mim e se não me resolvo, alivio… Uma catarse singela para ver onde posso melhorar e isto nada mais é do que um processo de análise sem terapeuta… Tive alguns terapeutas, não significa que encontrei uma fórmula para resolver neuroses e superar traumas sozinha, mas vou arriscar um jeito de conviver melhor com os 16 dias que ainda tenho até o Natal.

Aprendi que o primeiro passo é encarar o problema e a conclusão é simples : tive muito mais “Noites Felizes” do que Infelizes… E em honra ao meu passado, a todas as festas na infância e as que produzi para meu filho, família e amigos, estou improvisando uma pequena árvore de Natal e um presépio. Estou fora de qualquer amigo oculto, nem quero fazer ceia, assar peru e cozinhar castanhas. Resolvi ser amiga declarada de algumas crianças em Vila de Santo André onde dificilmente Papai Noel chega.

Vai me fazer muito bem, pois já o fez em 2006 quando fiz um Natal diferente. Em meados de dezembro fui a Porto Seguro e vi a montagem do Circo Beto Carrero. Foi uma viagem no tempo. Sou fascinada por circo e nos meus sonhos infantis creio que em algum momento pensei em ir embora com alguma trupe. Por isso ao ver aquele circo à beira do mar tive vontade de pedir a Papai Noel alguns ingressos para levar umas crianças de Santo André a assistir o que me emocionou e marcou por toda vida.

Repito sempre que a única coisa que vale na vida são os amigos.  E como nunca me faltaram, lembrei de Ligia Pontes, amiga do Rio de Janeiro, na época assessora de imprensa do Beto Carrero e enviei um email pedindo 10 ingressos. Como resposta ela me oferecia quantos eu julgasse necessário para levar as criança. Tive que fazer uma pequena produção, pois para transportar todos até Porto Seguro precisava de um ônibus, e apelei para outro amigo, Ubaldino Junior, radialista super bem relacionado que conseguiu na empresa Expresso Brasileiro. Ainda tínhamos o desafio de atravessar o rio, pagar a balsa, e o meu amigo Rogério Paixão, da Pousada Ponta de Santo André, conseguiu a liberação dos bilhetes.

No dia 26 de dezembro de 2006, 140 pessoas de Vila de Santo André tiveram a oportunidade de assistir pela primeira vez um grande espetáculo circense. Não sei me emocionei mais em ver o brilho nos olhos das crianças ou o êxtase dos pais diante do show. Elefante que até então era figura de livros e imagem na TV, estava ali, de verdade, dançando no picadeiro. Camelos, cavalos, pôneis, palhaços, malabaristas, trapezistas, bailarinas, contorcionistas, atirador de faca, mágicos e o incrível final com 5 motocicletas rodando no globo da morte! Até hoje este dia é lembrado…

Como não tem circo por perto, começo amanhã a preparar o Natal para 10 crianças que moram perto da minha casa. Vou costurar sacolinhas de pano para colocar os presentinhos que serão entregue dia 27, quando voltar do trabalho no Rio. Faço a festa com bolo, pipoca, cachorro quente. Acho que as crianças vão adorar e chega de me lamentar…

Anúncios

7 Respostas para “Um Natal de outro jeito…

  1. Coisa mais linda esse post… acho que vc vai receber um presente do céu: uma estrela de 5 pontas, toda dourada, que vai abençoar muito seu caminho e suas superações!!! Parabéns mesmo….

  2. maravilha – “se todos fossem iguais a vc…!” até o Natal seria melhor

  3. Que texto bonito ! Quanta sensibilidade!

  4. Aí sim, vc entrou no verdadeiro espírito de Natal! Parabéns!
    Tenho a certeza de a”Noite Feliz”, reinará em seu coração. Beijo, minha querida!

  5. …….lindo seu texto…..me achei chorando, porque tb nao gosto de Natal!!!!!
    Lamento nao estar mais perto p/ colaborar com vc, aqui já neva muito, faz muito frio tb, o que me deixa mais melancólica ainda…..
    Léa, vc é única!!!!!!!!seus “escritos”, sao belos……
    bjs em seu coracao……

  6. Lea, li enternecido seu belo texto. O gesto de apresentar o circo aos habitantes de sua cidade foi espetacular, tanto pela iniciativa quanto pelo estupor que lhes causou.
    Mas o mais bonito foi ter-lhes dado algo em troca de seu prazer interior e isso confirma que voce tem o bem valioso numa personalidade: sabedoria. Para uns, leva muita decadas, pra a maioria, jamais lhes é dado desfrutar.
    Seu Natal chegou mais cedo, naquele momento em que voce sentou-se à mesa e escreveu o belo texto. O resto, bem o resto é um ritual pouco importante. Meu carinho e a eterna amizade, hoje mais deslumbrada pelo que voce fez às criancinhas e seus pais.

  7. Raimundo Nonato dos Santos

    Léa, que prazer descobrir esse seu blog. Passei o o meu dia ”off” lendo suas postagens antigas e me deliciando com seus lindos textos. Moro em NY há 9 anos , tenho 53 anos, e lembro-me de voce quado desde adolescente lia a revista Amiga. Sou cearense mais fui morar no Rio com 18 anos e tambem apaixonado pelo Rio desde que pisei os pes la em 1976.
    Deixo um grande abraco pra voce e te dizer que voce me fez muito feliz ao dividir sua historia de vida comigo. Chorei, ri e me conformei com a minha melancolia que faz parte da minha personalidade. Muito Obrigado! Nonato.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s