Um dia…

unnamed (2)

O dia corre sem nada acontecer, sigo sem fazer esforço para que algo aconteça… Escrevo mais um parágrafo no livro que está preguiçoso dentro do computador, fico admirando o céu entre os galhos das árvores, copio o molde da boneca de pano para a amiga, fotografo uma planta que surgiu no meio de um tronco, vejo a abóbora que nasceu na horta sem ser plantada, repito o exercício diário de varrer o pátio, alimento os cães e os pássaros e, de repente, as luzes se acendem no jardim. Escureceu.

Por mais tolo que pareça, este dia que se acaba foi mais rico do que muitos quando trabalhava das 10 às 8 da noite. Não montei planilha, não criei um grande evento, nem vendi uma boa ideia. Mas vivi profundamente desde a meditação ao acordar, passando pelo agradecimento à refeição, ouvir atentamente o barulho das maritacas voltando pra casa, procurar a primeira estrela no céu… Sei que é possível viver com muito menos e ter muito mais…   Mas sei também que tudo isso faz parte de um longo aprendizado que nem todos passam sem dor…

Estes dias acompanhando o noticiário da morte do Eduardo Campos, assistindo a garra da sua mulher Renata e dos seus filhos, refleti mais uma vez como uma perda deste tamanho transforma uma família. Estava ali, ao vivo e a cores, dias de velório sem o corpo presente. E é numa situação assim que se aprende a superar o sofrimento com uma força que só pode vir da alma… Passei por isso, esperei por uma morte certa, semanas aguardando o desenlace…Lembro de cada detalhe, o desespero da mãe,  o olhar triste dos amigos, os apertos de mão, até o sorriso pendurado em meu rosto durante o velório. Era o alivio de encerrar um ciclo, maior do que a dor da perda… Aplausos para os que partem de uma vida bem cumprida… Mesmo querendo sempre ter o querido um pouco mais, quando tudo acaba fica apenas a certeza de quanto a vida é curta, muito curta… Resta a calma da noite e mesmo que o próxima dia corra sem nada de novo, já vem com muito…

Anúncios

5 Respostas para “Um dia…

  1. acorde aí! amanhã às 10 na casa portuguesa,com certeza! vc passa aqui às… para pegarmos a balsa das… hj a balsa estava bombando:ninguém conhecido bjsZ

    Sent from my iPhone

    >

  2. Nossa, como me vi neste seu texto ma-ra-vi-lho-so, Léa… Concordo plenamente com ele, integralmente, principalmente com este trecho: “Por mais tolo que pareça, este dia que se acaba foi mais rico do que muitos quando trabalhava das 10 às 8 da noite. Não montei planilha, não criei um grande evento, nem vendi uma boa ideia. Mas vivi profundamente desde a meditação ao acordar, passando pelo agradecimento à refeição, ouvir atentamente o barulho das maritacas voltando pra casa, procurar a primeira estrela no céu… Sei que é possível viver com muito menos e ter muito mais… Mas sei também que tudo isso faz parte de um longo aprendizado que nem todos passam sem dor…” AMEI! beijos, Vera Jardim

  3. Quanta lucidez ! Parabéns por tanta sabedoria.

  4. Como vc escreve bem Lea!
    bjs

  5. olá Léia, com certeza muita gente se viu neste texto , bjos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s