O Brasil não Conhece o Brasil

A Bahia não estava no meu mapa natal, a minha família é do Paraná, mas meus pais escolheram dois baianos como meus padrinhos de batismo e crisma.  Meus padrinhos Álvaro Protásio e Almir Mansur me mimaram de um jeito muito manso.  Ambos eram homens altos, elegantes e tinham um modo tranquilo de falar. Um sotaque às vezes arrastado, que fazia uma enorme diferença numa família de sulistas. Esta talvez seja a minha primeira referência de uma Bahia que abracei há 16 anos quando vim morar em Vila de Santo André, Santa Cruz Cabrália, onde o Brasil começou.  Abracei tanto que até já sou Cidadã Cabraliense.

E por caminhos surpreendentes, acabei me envolvendo de tal forma com a cidade que hoje, por estar vice-presidente do Conselho de Turismo, integro o grupo gestor da Câmara de Turismo da Costa do Descobrimento que reúne as cidades de Porto Seguro, Santa Cruz Cabrália, Guaratinga e Belmonte. Já participei de alguns encontros virtuais com representantes da Secretaria de Turismo do Estado e de outras instituições ligadas ao turismo junto aos gestores das 13 câmaras técnicas que envolvem dezenas de municípios, mas ontem, numa comemoração antecipada do Dia Internacional do Turismo que acontece no próximo domingo, fiquei maravilhada ouvindo os tantos destinos que essa Bahia oferece.

Com uma enorme diversidade de cenários, do mar ao sertão, dos sabores acres e doces, dos relevos e planícies, das grutas aos rios, dos tempos tórridos e áreas mais frescas, tudo tão perto e tão apaixonante que deu vontade de entrar no carro e sair estrada afora… E ainda tem as festas, o folclore, a arte, a cultura, o artesanato, tudo muito bem guardado, surgindo delicadamente em meio a tempos de quarentena. Pude ouvir como estes destinos estão se reinventando, como o Senac e o Sebrae foram importantes com suas plataformas e programas para qualificar os profissionais que atendem estas áreas para ir mais adiante do que o simples uso de máscaras e álcool em gel. Momento de saber como bem receber sem aglomeração oferecendo segurança aos turistas…

A boa nova que ouvi é que muitos turistas estão chegando pelas estradas, e impossível não lembrar Elis cantando “o Brasil não conhece o Brasil” (Querelas do Brasil, de Aldir Blanc / Maurício Tapajós).. Quem sabe um ponto positivo pode ficar desta pandemia: impulsionar o turismo nacional. E para quem quiser desvendar a Bahia, seguem os destinos onde as câmaras técnicas estão se dedicando para oferecer o melhor ao viajante… E só pra lembrar, de 9 a 18 de outubro tem a 5ª. edição do Festival da Lagosta em Santa Cruz Cabrália. Uma ótima pedida, e quem sabe a oportunidade da gente se encontrar por aqui.

Bahia de Todos os Santos (Salvador, Aratuípe, Cachoeira, Candeias, Itaparica, Vera Cruz, Madre de Deus, Maragojipe, Muniz Ferreira, Nazaré, Salinas da Margarida, Santo Amaro, São Félix, São Francisco do Conde, Saubara e Simões Filho.), Caminhos do Jiquiriçá (Amargosa, Jiquiriçá, Milagres, Mutuípe, Santa Inês, Ubaíra, Castro Alves, Cruz das Almas, Dom Macedo Costa, Santa Terezinha, Varzedo e Itatim.), Caminhos do Oeste (Barra, Barreiras, Santa Rita de Cássia, São Desidério, Bom Jesus da Lapa, Correntina, Ibotirama, Santa Maria da Vitória, Jaborandi e São Félix do Coribe), Caminhos do Sertão (Feira de Santana, Canudos, Euclides da Cunha, Itapicuru, Tucano, Cipó, Uauá, Adustina, Alagoinhas, Irará, Banzaê, Paripiranga, Santo Estevão), Caminhos do Sudoeste (Iguaí, Jequié, Maracás e Vitória da Conquista), Chapada Diamantina (Circuito da Chapada Norte: Bonito, Campo Formoso, Quixabeira, Jacobina, Miguel Calmon, Miramgaba, Ourolândia, Pindobaçu, Senhor do Bonfim e Utinga. Circuito do Diamante: Andaraí, Ibicoara, Iraquara, Itaetê, Lençóis, Mucugê, Barra da Estiva, Boninal, Iramaia, Itaberaba, Ituaçú, Nova Redenção, Palmeiras e Seabra. Circuito do Ouro: Abaíra, Jussiape, Paramirim, Piatã, Dom Basílio e Rio de Contas. Circuito da Chapada Velha: Barra do Mendes, Brotas de Macaúbas, Gentio do Ouro e Central) , Costa das Baleias (Alcobaça, Caravelas, Itamaraju, Mucuri, Nova Viçosa, Prado e Teixeira de Freitas), Costa do Cacau (Ilhéus, Itacaré, Ipiaú, Maraú, Una, Canavieiras, Itabuna, Uruçuca, Santa Luzia, Pau Brasil e São José da Vitória), Costa do Dendê (Cairu, Camamu, Valença, Taperoá, Igrapiúna, Ituberá), Costa do Descobrimento (Porto Seguro, Santa Cruz Cabrália, Guaratinga e Belmonte), Costa dos Coqueiros (Mata de São João, Jandaíra, Entre Rios, Conde, Lauro de Freitas, Esplanada, Dias D´Ávila, Camaçari), Lagos e Cânions do São Francisco (Paulo Afonso, Santa Brígida) e Vale do São Francisco (Juazeiro, Sobradinho, Remanso, Curaçá e Sento Sé)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s