Arquivo da categoria: terceira idade

O Vestido Verde

MURIEL

A tarde estava deliciosa, amigos reunidos num almoço de aniversário, à mesa delicias e conversas divertidas…. Aos nossos pés um visual maravilhoso da natureza exuberante de Santo André, mar ao fundo se perdendo no infinito, céu azul pontuado por nuvens branquinhas… Me sentia como se fosse um drone admirando a vila do alto, voando livre no novo vestido verde. Praticamente uma libélula. Como na canção infantil da Terezinha de Jesus, “de uma queda fui ao chão”… Tropecei num degrau e fui… Acudiram muitos cavalheiros e cavalheiras para estancar o sangue escorrendo do nariz. Era muito sangue. Na ridícula posição de quatro, o braço direito fortalecido pelo Pilates sustentou o corpo, os óculos voaram, o pratinho de sobremesa na mão esquerda espatifou-se na pedra São Tomé, e eu só pensava em não sujar ou rasgar o vestido de seda verde que ganhei no Natal.

Enquanto me acudiam – “traz um pano… gelo… tylenol” – eu estancava o sangue com as mãos lembrando a fatídica frase da minha mãe que se tornou lenda na família “rasgou o vestido? ” Saíamos para uma festa com nossas melhores roupas e ao descer a escada escorreguei com o sapato novo, sola em couro fino sem ranhuras, e de degrau a degrau cheguei ao chão. Ao ouvir o barulho mamãe correu para ver se tinha algum estrago no vestido de organdi com rendas e fitas. Foi assim que me senti, ainda tonta ao ser amparada por amigos e atendida por uma médica doutora de muitos títulos, mas que no passado teve experiência em pronto socorro. Deitada no sofá, com muito gelo no nariz, ri da cena ridícula. Tudo podia ser pior: quebrar o nariz ou os dentes, talvez os óculos ou o prato pudessem cortar o rosto… Mas foi apenas um pequeno talho no nariz e o joelho ralado. Nem hematomas e o melhor de tudo : o vestido está intacto. Nenhuma gota de sangue, nenhum arranhão… Como o de organdi com rendas e fitas.

Foto : Cláudia Schembri

Anúncios

O futuro será um espetáculo !

IMG_20180112_065841794

Esta semana, numa conversa, alguém me lembrou que a vida é finita. Sei, mas não sei. Ou esqueço que sei. Quanto tempo de vida ativa você ainda acha que tem? Me perguntam insistindo para que eu me lembre de quanto já caminhei. Respondo que creio ter todo o tempo do mundo. Talvez um dia, um mês, um ano, uma década…  No momento estou na campanha rumo aos 70 com muita saúde. Me lembro do susto quando subi na balança ao voltar de Portugal em 2004: 75 quilos cravados. Como assim? Nos dois anos anteriores deixei de fumar e entrei na menopausa, isso me tirou dos 62 quilos. Somaram as delicias da gastronomia lusa, as viagens pela França, Espanha, começando um grande estrago! Depois vieram a vida boa na Bahia, tempos com mais stress trabalhando em SP, e quando percebi, cheguei aonde estou. Não revelo meu peso nem sob tortura, mas decidi chegar aos 70, ou próximo disso, nos 70 anos…. Vou até aonde achar que estou me sentindo bem, sem cara de doente nem corpo caidaço…

Tenho refletido sobre qual foi o momento em que deixei de me olhar por fora e foquei no interior… Deus, os mestres, os santos, os gurus, os anjos, não podem gostar de alguém que esquece o externo, a saúde, o bem estar com o corpo. Posso culpar as confortáveis calças comprida com elástico na cintura, os vestidos largos, a praia deserta onde quase ninguém me vê, a cerveja gelada no calor, o Aperol Spritz com amigos, as deliciosas massas italianas, as caipivodkas aos domingos, as barras de chocolate Talento assistindo filme, cocadas da Lelê, e por aí vai… Na realidade o que me fez engordar foi o conjunto da obra. Voltar ao corpinho do passado é querer me agarrar à fonte da juventude. Sei que hoje sou bem melhor, deve haver um meio termo. E é o equilíbrio o que mais busco nestes tempos. O mesmo sentimento quando subo na prancha do Pilates. No início parecia impossível, hoje consigo surfar em terra firme…

Há 8 dias comecei o processo do olho no entorno sem perder o conteúdo. Comprei uma balança, doei 31 latas de cerveja e dois litros de refrigerante que estavam na geladeira. Não tomo refrigerante há muito tempo, mas eu comprei para atender amigos nas férias. A lata do delicioso doce de leite de Minas está guardada para um momento especial, uma pequena colher como prêmio quando estiver próxima ao objetivo. Pilates 4 vezes por semana, caminhadas. Nada de carboidrato, só proteína, ovos, legumes e verduras… Zero açúcar e farinha branca. Vale o azeite e o ghee (manteiga clarificada) feito em casa. Água, muita água… Preces e bons pensamentos, na certeza que o futuro será um espetáculo !